Agradecimentos

 

Dedico este livro às muitas pessoas com as quais convivi e que  me apoiaram durante o tempo que estivemos no Quitandinha. Trabalhadores, muitos humildes, que viveram uma época em que tinham compromisso com suas obrigações independente de horário, salário ou ordem superior. Que eram capazes de passar uma noite em claro apenas para consertar uma máquina de descascar batatas.

Carregavam consigo o orgulho de trabalhar num monumento histórico. Falavam do passado muitas vezes com lágrimas nos olhos. A sua maioria anônimos, prestando serviços internos que nem eram vistos pelos usuários. Sempre tentavam produzir acima de suas obrigações, como  forma de manifestarem o orgulho de estar ali.

Eu sei o que é isso. Também peguei deles esta febre. Muitas vezes eu ficava meses sem sair do hotel, apenas para cumprir minhas obrigações.

Hoje tenho a idade que tinham quando me falavam. Eles se foram e penso que coube a mim contar o que ouvi após suas partidas. Em reconhecimento a estes homens, passado dezenas de anos resolvi ‘bancar’ este livro, apenas para que as memórias não se apaguem no tempo. Gostaria que estivessem por aqui para vê-lo. Eles viveram o que está escrito e me transmitiram. Agradeço-lhes de todo coração. Gostaria, e muito, de dizer para eles que também tive muita honra e orgulho de ter assimilado o que me passaram e de ter convivido com eles uma boa parte desta história.

Inevitável chegar até aqui, e não refletir sobre o quanto a história tem a nos ensinar. Somos participantes da vida e, no meu caso tive a honra de poder vivenciar o Quitandinha. Tantas memórias, que, tanto Rolla quanto meu tio Adelino Boralli, jamais poderiam imaginar acontecerem, por mais visionários ou empreendedores que fossem.
Altos e baixos, acertos e erros, vitórias e derrotas, para manter o Quitandinha de pé. E, de pé, ele atravessou todos esses acontecimentos contados nesse livro.

                                                                                                                                Luiz Boralli Garcia